quinta-feira, 2 de julho de 2009

Como Agir em Caso de Incêndio parte II ou Faça Merda Sem Sair de Casa

Não é apenas de aparência que vive uma pessoa. Sim, a boa educação, a iniciativa e a sedução entre outras, são qualidades importantes para o ponta-pé inicial de uma relação e não discriminam homens ou mulheres. Independente do sexo - o gênero, não o ato - quando falta uma dessas, ou mais de uma em alguns casos, é certo que a coisa não vai pra frente, mesmo que as duas partes estejam morrendo de tesão uma pela outra.
Acompanhemos o relato de Andressa, uma jovem executiva que está no zero a zero com Humberto, um colega de trabalho, segundo a minha memória consegue recordar.
"Trabalho há três anos e meio na empresa X e o Humberto sempre me chamou a atenção, no entanto, nunca alimentei esperanças porque ele era casado. Algum tempo depois, por força das circunstâncias começamos a trabalhar na mesma equipe em um projeto comum às nossas áreas.
Com a proximidade obrigatória, acabamos ficando amigos e assim, fiquei sabendo que seu casamento não estava bem. Um dia precisamos viajar para um congresso e interagir com outros funcionários da empresa e após encerradas as atividades naquele dia, o grupo com quem fiz amizade resolveu comemorar com o Vinho da Verdade. Conversa vai, conversa vem, alguém me perguntou se eu sentia alguma coisa pelo Humberto. Já estava levemente alcoolizada e falei o que veio na cabeça. Uma fração de segundo depois, me dei conta que na rodinha estavam dois dos melhores amigos do Humberto e certamente a primeira coisa que eles iriam fazer depois de entrar no hotel, seria bater no quarto dele e reproduzir tudo o que eu disse.
Até então Humberto nunca havia percebido nada. Precisou que os amigos contassem para ele mandar a primeira indireta [e boa subjetividade nisso...]. Um belo dia, ele pos um ponto final em seu casamento. Mais ou menos duas semanas depois, saímos em um grupo de amigos e fomos para um pub em Copacabana. O lugar tinha sex-appeal zero, o que não ajudava em nada, considerando que ele era bem devagar na arte da conquista.
Aconteceu, num outro dia e não sei nem como, de ficarmos juntos pela primeira vez. Dormi no apartamento dele e, apesar de tudo, ele se revelou um sujeito romântico e interessado. Na segunda-feira anterior ao meu aniversário convidei-o para dormir na minha casa. Comprei um bom vinho, queijos, frutas e preparei o ambiente para criar um clima agradável. Liguei para ele mais ou menos umas oito da noite e ele disse que chegaria por volta das nove. O tempo passou e até dez e meia eu não tive notícias dele. Aliás, até a manhã seguinte eu não tive notícias dele. Fiquei muito puta, obviamente.
No dia seguinte cheguei ao trabalho com tendências homicidas. Quando ele me viu, se aproximou e:
- Eu queria te pe...
- Não vou falar com você agora! - respondi rispidamente, sem olhar pra ele.
Minutos depois, já não aguentando, fui até onde Humberto estava, peguei-o pelo braço e fomos para uma sala isolada para conversar.
- Fala.
- Sabe o que é? É que a minha ex apareceu sem avisar no meu apartamento e ela está com depressão, que você sabe, e ficou lá me alugando.
- E você não podia ter me ligado avisando?
- O meu celular quebrou.
- E o fixo?
- Tava com defeito.
- E o telefone da portaria do seu prédio?
- ...
- Será que nenhum telefone em um raio de 50km funcionava, Humberto?
E ficou aquele climão o resto da semana. A Jane, que é muito minha amiga e é amiga dele também acabou fazendo um leva e trás involuntário. Ele sabe que gosto dele e eu sei que ele gosta de mim, mas fica esse zero a zero toda vez que a gente se vê."
Vou encerrar o relato por aqui, porque já deu pra perceber que se depender do Humberto, até o Barrichello vai chegar na Andressa antes. Mesmo porque já deu prá perceber os pontos principais dessa história:
- don´t shit where you eat ou onde se ganha o pão não se come a carne. Se uma relação dá certo entre colegas de trabalho é ótimo, mas se não dá é uma merda. E acredite, não vale à pena pagar pra ver.
- Educação é tudo. Custava ligar para ela e dizer: "Olha Andressa, surgiu um imprevisto e eu não vou poder aparecer aí. Depois eu explico melhor." Tenho certeza que ela iria entender. Você ficou com medo dela te odiar profundamente? Ela provavelmente iria te odiar de qualquer forma. A diferença é que com o seu telefonema naquela noite, esse ódio passaria em 15 minutos e em vez de 15 semanas.
- Humberto... queridão... você é um espermatozóide vencedor... por que você não toma coragem e investe? Por que mesmo depois de já ter afofado o quibe, você agiu como um adolescente, que não sabe se é pêra, uva, maçã ou salada mista? Ou você é um banana?
- Andressa, caso dê certo, prepare-se para mandar e tomar as decisões nessa relação.
E é isso caro leitor. Por mais absurda que seja a realidade, ela ainda é melhor do que uma mentira esfarrapada. Isso me lembra uma outra história real, mas fica para o próximo post.

2 comentários:

  1. Bal, adorei os comentários finais! Tomara que Humberto se dê conta que já está mais do que na hora de sair da adolescência! Será que ele consegue antes da próxima Era Glacial? Vamos torcer!
    Beijos,
    da desiludida mas ainda confiante,
    Andressa

    ResponderExcluir
  2. Andressa, você tem todo o meu apoio.

    ResponderExcluir